Polonio Furniture: dar vida a um espaço esquecido

autoria P3

// data 12/07/2017 - 14:14

// 2237 leituras

Madeira, fios, tinta, rolos e fita cola. Uns pintam muros, outros constroem cadeiras e outros vão transmitindo aos abrantinos a ideia dos espanhóis Javier Peña Ibáñez, Manuel Bouzas Cavada e Clara Alvarez. Dar vida a um espaço esquecido era o objectivo e cumpriu-se. "No ano passado, estive aqui pela primeira vez e, este ano, o 180 Creative Camp desafiou-nos a alterar um espaço esquecido e trazê-lo de volta à vida dos que aqui vivem", disse Javier, de 32 anos, ao P3. Os artistas pretendiam, através de uma visão especializada na difusão e investigação da Arquitectura, gerar um diálogo crítico, que se desenvolve de forma paralela à arte, à pintura e ao urbanismo. "Estivemos a pintar as paredes, a construir cadeiras e a usar toda a imaginação possível. Esta é uma forma de trazer mais pessoas à cidade, de a tornar mais colorida e atractiva, de redescobrir aquele espaço", acrescentou o arquitecto. A obra permanente conta com sete cadeiras para adultos e quatro para crianças. E o resultado está à vista: já há quem repouse no novo-velho espaço, quem se sente nas cadeiras feitas pelos participantes do 180 Creative Camp, quem aproveite a sombra da árvore que a decora e quem desfrute da luz reflectida nas paredes agora pintadas.

Eu acho que