A beleza dos bailarinos parados no tempo

autoria P3

// data 15/12/2017 - 17:28

// 23586 leituras

Disciplina. Atenção. Aperfeiçoamento. Amor. Expressão. Até tocar nas estrelas. São todas estas "aspirações humanas" que o australiano Niv Novak encontra no ballet e na dança em geral. E por isso fotografa-os. Bailarinos que voam, que desafiam a gravidade, que planam e páram no tempo. Com 49 anos, Niv cresceu em Melbourne, entre linhas de código e computadores — aos 15, já fazia programação. Durante três décadas, dedicou-se ao comércio de electrónica, até que a Sonos adquiriu há bem pouco tempo a empresa e a fotografia ganhou outro peso na sua vida. Desde 2013 que um workshop com o fotógrafo de moda Peter Coulson o tinha deixado fascinado com o acto de desenhar a luz em estúdio. E, no ano passado, aproveitando as férias do colega, passou um mês inteiro enfiado na sala a praticar. Com bailarinos, claro está. "Fazer retratos é fascinante, mas é a beleza de iluminar o físico dos atletas e bailarinos que captura a minha imaginação", conta, em entrevista por email ao P3. Sendo que ele próprio não tem qualquer tipo de relação directa com a dança. Descobriu-a, apenas, ao fotografá-la. E, quiçá, a filmá-la. É que uma outra faceta do seu trabalho é o projecto extension, uma série de vídeos em slow motion da dança a acontecer. "Ninguém consegue realmente ver um salto explosivo de dança. É muito rápido. Podes ver quão alto é ou a forma geral de um dançarino, mas na prática toda a beleza atlética e técnica se perde." Uma fotografia "bem cronometrada" pode captar a extensão do movimento e o físico do retratado, mas não a graça do movimento. Niv ficou "obcecado" com isto. Começou então a fazer estes pequenos vídeos em que reduz até 40 vezes a velocidade das acções para tentar tardar o tempo. O que, claro está, chamou a atenção do mundo e também dos portugueses The Gift que o convidaram para colaborar no videoclipe da novíssima You Will Be Queen. Ali vemos Ako Kondo e Chengwu Guo, artistas do The Australian Ballet, a maior companhia de ballet clássico daquele país, um "casal de dança notável que se vai casar em breve". O resultado? "Sinto realmente que a música e as imagens foram combinadas lindamente. A melodia e a narrativa foram cuidadosamente sincronizadas com o movimento hipnotizante de dois bailarinos extremamente talentosos." Assim é.

Eu acho que