Criatividade

Loqr, Why Portugal e Holy Nothing representam-nos no South by Southwest

Start-up portuguesa é uma das 48 finalistas do South by South West, em Austin, nos EUA, considerado o maior festival de criatividade do mundo

Texto de Catarina Corte-Real • 02/03/2016 - 13:26

Distribuir

Imprimir

//

A A

A Loqr, start-up portuguesa sediada em Braga, está entre os 48 finalistas do South by Southwest (SXSW), um festival que junta música, filmes independentes e tecnologia, promovendo o crescimento profissional e criativo dos seus participantes, em Austin, capital do estado norte-americano do Texas. Além desta empresa, Portugal estará representado, pela primeira vez, com um "country stand", organizado pela plataforma Why Portugal e pelos Holy Nothing, que vão actuar durante o festival. 

 

Como as palavras-passe são cada vez mais complicadas e muitas vezes podemos esquecer-nos delas, a Lorq procurou contornar o problema através de uma aplicação onde o smartphone está no centro da autenticação, passando a ser um gestor de palavra-passes, sem a necessidade de inserir um nome de utilizador e "password" ou de usar o teclado e o rato. Basta apontar a câmara do smartphone, no "browser", para o código para desbloquear e a autenticação é feita.

 

A start-up de Ricardo Costa foi a única empresa de selo nacional seleccionada como finalista entre 470 candidatos e faz parte da categoria de Tecnologia FinTech. A competição do festival norte-americano, considerado o maior festival de criatividade do mundo vai decorrer nos dias 12 e 13 de Março. As apresentações das 48 start-ups será feita no dia 12 e apenas as dezoito melhores passam à segunda fase no dia seguinte. 

 

Para Ricardo Costa, fundador da Loqr, a participação no festival SXSW representa três objectivos: "Obter 'feedback' sobre o produto, aprender sobre o mercado interno norte-americano e captar novos clientes e parceiros." 

 

Por outro lado, a plataforma WHY Portugal pretende agregar artistas e profissionais da indústria da música portuguesa numa base de dados. Mais: pretende igualmente "apresentar os artistas nacionais e as equipas profissionais que os representam aos delegados internacionais presentes nas várias feiras e congressos da indústria da música a nível internacional".

Voltar ao topo

|

Corrige
Eu acho que